sábado, 26 de outubro de 2013


Edson Carmo


Se o seu coração for pequeno, você não será capaz de dar muita coisa, nem de receber também"

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Drummond, apenas Drummond !

AUSÊNCIA

Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.

Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim.
Carlos Drummond de Andrade

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Não sei o houve, mas no momento em que te vi, uma alegria imensa tomou conta de mim...

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Caminhos Cruzados

Despertei da ilusão que me assolava, há tanta maldade neste mundo...pessoas que não medem as palavras, nem tampouco suas ações. 

Quando um coração que está cansado de sofrer
Encontra um coração também cansado de sofrer
É tempo de se pensar,
Que o amor pode de repente chegar
Quando existe alguém que tem saudade de outro alguém

E esse outro alguém não entender
Deixe esse novo amor chegar,
Mesmo que depois seja imprescindível chorar
Que tolo fui eu que em vão tentei raciocinar
Nas coisas do amor que ninguém pode explicar
Vem nós dois vamos tentar,
Só um novo amor pode a saudade apagar


                                                            Caminhos Cruzados de Gal Costa


Nunca tenho certeza do que sinto...Minhas verdades doem e a dos outros também! Não sei viver de mentiras, ao contrário de muitos que fazem disso forma de vida.

terça-feira, 26 de março de 2013

Montagem

O tempo não me assusta, os anos que percorri até aqui foram bons. Já passei dos quarenta e o coração bate na cadencia dos vinte. Cabeça feita, vivo de acordo com o que acredito, não critico, não julgo, não condeno. Tenho minhas fraquesas confesso, já escorreguei muito...levei uns par de sai da frente. E ainda estou aqui, lutando e conquistando meu espaço. O engraçado é que passei metade da minha vida tentando me ajustar as outras pessoas. Tinha receio de que os outros não me vissem com bons olhos, depois de um tempo observei que não importava o que eu fizesse a opnião era sempre a mesma, então resolvi mudar. Dos pés a cabeça a mudança foi radical, priorizo as decisões e não faço nada que vá na contramão do que penso. Vejo a vida de forma otimista, tudo tem uma razão de ser. E quando tudo da errado me sento e medito.

terça-feira, 19 de março de 2013

amor...

Aonde ele mora? Com quem se parece? Freqüentemente aparece estampado nos rostos de todas as etnias. Estranhamente não podemos encontrá-lo em qualquer lugar, mas ele surge nos ambientes mais inóspitos. 
Para o amor as fronteiras não existem, são apenas obstáculos passageiros. Há pessoas que acham que podem comprar , manipular ou até mesmo fingi-lo, doce ilusão. O resultado acaba sendo catas trófico, sem precedentes. Pode-se passar a vida inteira sem nem sequer passar perto desse sentimento tão sublime. 
Há uns dias atrás, assisti na tv cultura um documentário sobre as consequências da guerra civil no continente africano, pude observar naqueles rostos sofridos a indignação de anos de injustiças e massacres com justificativas inúteis.
 Foi um misto de tristeza e raiva.
 O meu amor pela vida se torna um grão de areia se comparado com o aposto que vivem meus irmãos de sangue... 
Não posso dizer que amor é esse, que destrói, que mata, que aniquila. Nossos semelhantes por cor, religião e disputas de poder...

Mas posso garantir, que se não houvesse amor nessa terra ela já não mais existiria. A ganância vencerá o amor algum dia?

TREM BALA- Ana Vilela (LETRA)