segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

O ritual do café


Estampa-se o sol em delicados raios
Sobre o mármore branco e liso da cozinha.
Suavemente me debruço e uma porta abro,
Recolho a chávena fina e o florido prato.
Ergo o meu braço e num voo livre,
No gesto de um armário desvendar,
Recolho o nobre pó de inebriante aroma.
Alongo a mão que a gaveta encontra,
E dela escolho, enfim, a colher mais bela,
Brilhante, pequena, com terno recorte.
Tudo coloco em ordem e harmonia:
O prato tranquilo e a expectante chávena,
Nesta, o torrado grão moído, de castanho intenso.
No açúcar rico, centro o meu cuidado,
A montanha branca transportando, pura,
Em bojuda prata que doce se inclina.
E luzem cristais em cascata linda!
Depois, a água borbulhante, quente,
A mistura inunda, dissolvendo-a
Em espirais de espuma que a colher adorna.
Café! Café! Precioso encanto!
Em dégagé devant te cumprimento,
Os meus braços lanço em acolhimento grato.
Da janela aberta me acerco então.
Tão bela é a vista que o Outono pinta no jardim!
Castanho da terra e verde das plantas unem-se
À água que brilha em bebedouro antigo.
Aspiro, feliz, da manhã tranquila, o seu odor
A quente café e à relva orvalhada.
Olho o céu e sorvo um gole, outro e outro.
E assim me quedo, por instantes longos.
Entre o prazer forte do café e a doçura da manhã
Mais um dia de vida se inicia!

Ilona Bastos



quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Crianças Haitianas na fila de adoção



Muitas mulheres brasileiras estão se candidatando para adotar algumas criançinhas haitianas, é uma gota no oceano,mas... oque me chamou atenção foi o simples fato de aqui termos menores sobrando aos montes em creches e orfanatos para serem adotados por quem tem amor sobrando para dar. O exibicionasmo dessas pessoas em digamos fazer uma boa ação é no minímo descabida e vou dizer o motivo. Os nossos bebês e pequeninos negros estão pertinho de cada um de nós é só estender a mão e ajudar se quiser, podemos claro ajudar os haitianos tambêm só que temos nossos problemas aqui. E esses sim podem virar um terremoto humano daqui uns anos, não veêm como estão as grandes metrópolis? Se temos que fazer algo comecemos no nosso quintal e feito isso haverá amor pra todos. Em qualquer lugar do mundo, para dar amor não há distância, nem barreiras.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Quando eu nasci tocava essa música do Roberto, tempo bão...

Detalhes

Roberto Carlos
Composição: Erasmo Carlos / Roberto Carlos

Não adianta nem tentar
Me esquecer
Durante muito tempo
Em sua vida
Eu vou viver...


Detalhes tão pequenos
De nós dois
São coisas muito grandes
Prá esquecer
E a toda hora vão
Estar presentes
Você vai ver...


Se um outro cabeludo
Aparecer na sua rua
E isto lhe trouxer
Saudades minhas
A culpa é sua...


O ronco barulhento
Do seu carro
A velha calça desbotada
Ou coisa assim
Imediatamente você vai
Lembrar de mim...


Eu sei que um outro
Deve estar falando
Ao seu ouvido
Palavras de amor
Como eu falei
Mas eu duvido!
Duvido que ele tenha
Tanto amor
E até os erros
Do meu português ruim
E nessa hora você vai
Lembrar de mim...

A noite envolvida
No silêncio do seu quarto
Antes de dormir você procura
O meu retrato
Mas da moldura não sou eu
Quem lhe sorri
Mas você vê o meu sorriso
Mesmo assim
E tudo isso vai fazer você
Lembrar de mim...


Se alguém tocar
Seu corpo como eu
Não diga nada
Não vá dizer
Meu nome sem querer
À pessoa errada...


Pensando ter amor
Nesse momento
Desesperada você
Tenta até o fim
E até nesse momento você vai
Lembrar de mim...


Eu sei que esses detalhes
Vão sumir na longa estrada
Do tempo que transforma
Todo amor em quase nada
Mas "quase"
Também é mais um detalhe


Um grande amor
Não vai morrer assim
Por isso
De vez em quando você vai
Vai lembrar de mim...


Não adianta nem tentar
Me esquecer
Durante muito
Muito tempo em sua vida
Eu vou viver










quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

Enquanto isso na cabaninha

Paixão
Aqui perto da minha casa em um grande terreno baldio, acamparam por lá um casal de sem terra. Ele é negro e ela loira, vivem de maneira precária sem conforto algum, água, encamento ou rede de esgoto. Para cozinhar ela pega água em uma mina próxima, vivem de donativos doados pelos vizinhos.
O mais interessante acontece à noite, depois que todos apagam suas luzes eles começam a festinha.
A jovem  grita de prazer quando seu parceiro lhe dá umas palmadas no bumbum e pergunta com linguajar chulo se ela está gostando. Ela grita que sim, que adora apanhar e quer mais e mais. Isso se estende noite à dentro para deleite de alguns e fúria de outros. Em meio a tanta pobreza e caos existem pessoas que curtem a vida ao extremo sem luxo e expectativas. Confesso que tambêm era mais feliz quando não tinhamos quase nada, a união prevalecia em minha casa.
 Ver a história de amor desde casal é inspirador, fazer um pouco de barulho e algazarra até que não faz mal a ninguém.
 Já foi tudo quanto é autoridade pra acabar com o ninho dos pombinhos e cessar seus arrulhares.

terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Novo Outono

Agora com a chegada de um ano novo, entendam não é porque o ano mudou, eu é que me sinto diferente.
Jamais me senti mais aberta em todos os sentidos. Com discernimento, dissipei minhas dúvidas e por vezes relutei em aceitar mudanças. Passei por tudo isso com o coração em chamas, não foi fácil nem era pra ser mesmo, quando envolve família meus pensamentos ficam confusos e nebulosos.
Deixei meus trófeus de super mãe na estante e tirei as crianças do colo. Pús os dois no chão e deixei-os andar sozinhos.
Vão amores, mamãe vai viver a própria vida e como é bom ter o dever cumprido. Amo meus filhos e gosto de crianças, mas não quero ser mãe novamente.
Depois do que aconteceu meu coração não aguentaria a expectativa de uma educação falha.
Ser mãe é doação, um ato sublime. Mas agora eu quero me dar a chance de ser mulher, uma amante satisfeita e ter um bom companheiro ao meu lado. Me purificar e se entregar límpida de corpo e alma.
É assim que coisas devem ser leves, soltas e sem compromissos, um passo de cada vez. Firmes no chão rumo a felicidade
Amizade

segunda-feira, 4 de janeiro de 2010

Visão de Planejamento

Era uma vez um caçador que contratou um feiticeiro para ajudá-lo a conseguir alguma coisa que pudesse lhe facilitar o trabalho nas caçadas.
Depois de alguns dias,o feiticeiro lhe entregou uma flauta mágica que
ao ser tocada, enfeitiçaria os animais. fazendo-os dançar.
Desse modo, o caçador teria facilitada a sua ação.
Entusiasmado com o instrumento,o caçador organizou uma caravana
convindando dois outros amigos caçadores para a África.
logo no primeiro dia de caçada, o grupo se deparou com um feroz tigre. De imediato,o caçador
pôs-se a tocar a flauta e milagrosamente, o tigre,que já estava próximo de um de
seus amigos, começou a dançar.
Foi fuzilado á queima roupa.
Horas depois,um sobressalto. A caravana foi atacada por um leopardo que
saltava de uma árvore.Ao som da flauta, contudo,o animal transformou-se.
De agressivo,ficou manso e dançou.
Os caçadores não hesitaram e o mataram com vários tiros.
E foi assim: flauta sendo tocada, animais ferozes dançando,caçadores matando.
Ao final do dia,o grupo encontrou pela frente um leão faminto.
A flauta soou,mais o leão não dançou. Ao contrário,atacou um dos amigos do caçador flautista,
devorando-o. logo depois, devorou o segundo.O tocador
de flauta, desesperadamente fazia soar as notas musicais,mas sem resultado algum.
O leão não dançava. E enquanto tocava e tocava, o caçador foi devorado.
Dois macacos em cima de uma árvore próxima, a tudo assistiam.
Um deles observou com sabedoria:
EU SABIA QUE ELES IAM SE DAR MAL QUANDO ENCONTRASSEM O SURDINHO.
                                                   

                                        Ensinamentos Básicos.


1- Não confie cegamente nos métodos que sempre deram certo: Um dia podem não dar!
2-Tenha sempre planos de contingência: Prepare para as situações imprevistas.
3-Preveja tudo que pode dar errado e prepara-se. Esteja atentos ás mudanças e não espere as
dificuldades para agir.
4- "Cuidado com o leão surdo"!









sábado, 2 de janeiro de 2010

Pergaminhos da vida

Arte




Se desse pra colocar tudo que passei a limpo nessa vida, eu escreveria em pergaminhos.
Daqueles que se guardam longe da luz e do calor para que se conservarem por mais tempo. Engraçado como são as coisas, passamos tempo demais tentando resolver o que na maioria das vezes conserto não há. Pensei ser simples e descomplicada mas me enganei, nunca vi mulher  mais enigmática que eu, eta trêm enrolado. Quando quero ir não vou, se parto volto, se como não gosto. Não sigam meu exemplo meninas e meninos ser chata consigo mesmo é barra. Bem de uma coisa tenho certeza a paz que estava quase conquistando foi definitivamente pro espaço, o lugar mais apropriado pra ela não acham?
E quanto ao resto de mim, indo e vindo, começando e terminando...

TREM BALA- Ana Vilela (LETRA)