quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Ser simplesmente eu...

Fui várias vezes ao mesmo lugar, meus atos também eram os mesmos. Só as roupas variavam de acordo com o clima e o meu estado de espírito.
 Eu agia de acordo com o que a sociedade esperava de mim. Perfeita, sem mácula, mas como se por outro lado nós negros na maioria das vezes somos condenados por pré julgamentos racistas.
Não adianta sermos melhores, isso não diz nada para um sociedade retrograda como a nossa. 
Vivemos vidas que não são as nossas, padrões pré estabelecidos pela sociedade moderna. 
Crenças, idiomas, músicas, tudo é diferente. 
Gostamos de usar nosso corpo como forma de expressão, nossos gestos são mais eróticos mas isso não quer dizer que somos promíscuas. 
Todo mundo é diferente entre si e isso é fato.
Da minha parte não pretendo mais ser o que os outros esperam. 
Quero poder por uma roupa com motivos étnicos sem que digam que sou doida, me mostrar pro mundo como sou. 
Uma mulher alegre, faceira que não tem medo de ser feliz...
                                                               

Nenhum comentário:

Lá vem a vida me convidando para sorrir... Desculpe, estou sem vontade. Lá vem a vida me convidando à dançar... Desculpe, não aprendi ...