quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Uma nova vida?



 Hoje fui visitar um amigo que foi atropelado por um caminhão, agora ele já esta fora de perigo, fará algumas cirurgias e ficará novo em folha. Mas pude notar como somos frágeis diante da vida. Numa fração de segundos podemos virar passado. Confesso que tenho desejado a morte, não sei o motivo, ou talvez saiba sim. São tantos que tornaram-se banais, quando gritamos e ninguém ouve é assim que se sente, como eu. Meu otimismo deu lugar a obsessão , essa ideia fixa me ronda durante o dia, e a noite dá lugar aos pesadelos. Já tive depressão, síndrome do pânico, mas igual a essa não tinha passado nem perto. Todas essas paranóias são igualmente perigosas, ainda mais quando se estão todas juntas e misturadas. Eu sei que posso procurar ajuda proficional, mas não quero, preciso que esse rancor saia de  de mim ou acabe comigo, essa é a única forma. Não sei qual vai ser o desfecho e não espero nada de ninguém, somente o isolamento. Engraçado, não sinto mais tristeza, apenas uma leve nostalgia.

Lá vem a vida me convidando para sorrir... Desculpe, estou sem vontade. Lá vem a vida me convidando à dançar... Desculpe, não aprendi ...