segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Me joga na relva...

Mestre... porquê tanta incredulidade?
Tens o dom de driblar as artimanhas da natureza...
És tão cético que não vens que existem vários caminhos
O que és tão difícil para si uma outra caminhada?

Mudar as trilhas, trocas os obstáculos...lhe fará bem
Tens o dom da cura e não trata a si mesmo, espero que eu o faça por ti?
Pare já com tudo isso, agora te dou seu diagnóstico
O Doutor é infeliz e isso tornou-se uma constante em sua vida...

Se eu não existisse teria a tal felicidade?
A minha simples existência te incomoda...
Já pude ver como ages longe de mim,
E te digo, engana-se porque queres assim,

Ela te faz de um tudo e se acomodas
Ao contrário de mim que te seduzo e fujo
Sempre que posso e dá vontade...
Não vou abrir mão de ti jamais, e te digo mais

Quero um homem intenso, cheio de vida...
Não existe em nossas vidas lugar para dúvidas e medos adolescentes
Sou uma mulher coberta de luxúria, te desejo e te Amo
Dois motivos que raramente andam juntos...

Vou te procurar onde quer que esteja
Então não adianta fugir... sei que me desejas e espero.
Mas posso te atacar quando menos imaginas!
Meu Amor deixe de bobagens, confie no seu amor, no meu amor... Eu te desejo mais a cada dia. Isso demora bastante, atiça ainda mais minha vontade...
Ah, Mestre como te quero...

Nenhum comentário:

Lá vem a vida me convidando para sorrir... Desculpe, estou sem vontade. Lá vem a vida me convidando à dançar... Desculpe, não aprendi ...