domingo, 3 de abril de 2011

Desesperança

Procurei em ti razões para minha própria existência, traços de humanidade, resquícios de polidez e segurança...perdi-me no imenso vazio de tuàlma, esquecida num tempo distante.
Chorei lágrimas amargas, tropeçando loucamente pelos caminhos, fiquei sem chão, sem rumo e sem destino...
Já não almejo encontrar a tão sonhada felicidade, o tempo todo ela estava ao meu lado, eu é que não percebi ela sumindo. Agora é tarde não há nada a se fazer...O tempo não volta.

2 comentários:

jair machado rodrigues disse...

O tempo não volta e o tempo não pára...minha amiga Eugenia, quanta intensidade neste amar louco, nesta busca febril da salvação da própria existência...amar, como é louco amar; e o amor é tão louco que pode nos cegar e então podemos perder o qie estava aqui, no noso lado...
ps. Um imenso abraço minha amiga Eugenia; e muito obrigado peka visita, mas não te preocupes se fores lá, venho cá.

Gheni disse...

É sim meu amigo, nos engamos o tempo todo, equívocos de amar eu diria... Porém sou uma eterna otimista, fico de bode ás vezes mas nada muito sério. Acredito num amor incondicional, que tudo supera. Infelizmente nem todos são como eu.
Um enorme abraço com muito carinho

Eugenia

Gabriel Joaquim dos Santos "Arquiteto de Sonhos"

·   Eu tenho um pensamento vivo. ·   Sonho pra fazer e faço. ·   A casa depende do espírito, é uma casa espiritual. ·   Aquelas fl...