terça-feira, 9 de agosto de 2011

Simplesmente Mãe

Ser mãe em período integral é muito gostoso, pude acompanhar meus filhos darem os primeiros passos e crescerem felizes brincando no quintal. Eu os levava à escola, preparava seus lanchinhos...
E assim foi por um bom tempo, até que me dei conta que eles haviam se tornado adultos e já faziam suas próprias escolhas. Me senti perdida no começo, já sem tantas obrigações minha vida ficou vazia muito rápido.  Não aceitava a ideia de mudar do papel de mãe pra secretária particular, eu explico: Quando nossos filhos crescem e tem uma rotina cheia de afarezes, somos nós, as mães que fazem todo o resto. Pagar as contas, resolver questões da faculdade, tirar xerox o tempo todo, preparar apostilas, peneirar pesquisas na net. É uma lista interminável de itens, então imaginem quando tudo lhe é transferido de suas para mãos para terceiros.
 A princípio pode parecer um alivio, quem dera fosse assim, aí vem a depressão, a síndrome do ninho vazio, dizem os psicoterapeutas. Me indicaram passeios, novas amizades, bastante leitura enfim se divertir para esquecer a antiga rotina.
Fui bem no inicio, mas de todas essas coisas o que me dá mais prazer é a caminhada solitária que faço todas as tardes, em horários que quase ninguém vai das 16:00 às 17:00 horas, porque com excessão de mim vai apenas mais duas ou três pessoas igualmente sozinhas. É muito bom, descarrego todo strex, vendo a paisagem e as vaquinhas pastando. Adoro ver os animais brincando enquanto comem e assim vou me distraindo. 
Estou tentando preencher as lacunas, trabalho árduo e difícil para mim que só sabia ser mãe, agora tenho que reaprender a ser mulher e conquistar meu espaço.



Nenhum comentário:

Gabriel Joaquim dos Santos "Arquiteto de Sonhos"

·   Eu tenho um pensamento vivo. ·   Sonho pra fazer e faço. ·   A casa depende do espírito, é uma casa espiritual. ·   Aquelas fl...