quinta-feira, 31 de maio de 2012

COMUMENTE É ASSIM

Cada um ao nascer

traz sua dose de amor,
mas os empregos,
o dinheiro,
tudo isso,
nos resseca o solo do coração.
Sobre o coração levamos o corpo,
sobre o corpo a camisa,
mas isto é pouco.
Alguém
imbecilmente
inventou os punhos
e sobre os peitos
fez correr o amido de engomar. Quando velhos se arrependem.
A mulher se pinta.
O homem faz ginástica
pelo sistema Muller.
Mas é tarde.
A pele enche-se de rugas.
O amor floresce,

floresce,
e depois desfolha.

Vladimir Maiakóvski

Nenhum comentário:

 Olhem lá, a mãe abandonou a filha na rua... Um espetáculo digno dos dias que vivemos! Sejamos sinceros, quem aqui já não abandonou algué...