quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Permita-me

     Dormir o sono dos justos,
perpetuar minha espécie em meu habitat natural,
que o homem me deixe vivo, que minha pele não tenha valor algum no mercado...
que ao abrir meus olhos a floresta onde nasci ainda esteja lá.
que não se lembrem de mim apenas por fotos e reportagens do NATIONAL GEOGRAFIQ.

Nenhum comentário:

 Olhem lá, a mãe abandonou a filha na rua... Um espetáculo digno dos dias que vivemos! Sejamos sinceros, quem aqui já não abandonou algué...