sexta-feira, 9 de outubro de 2009

À procura

Quem foi que inventou a frase que quem ama não deixa de amar?
Isso só acontecerá se você morrer amando caso contrário, que nada quanto ao amor não existe receita pronta, cada caso é único senão jamais haveria tantos livros, dicas e até professores de paquera. Ao longo de 38 anos de existência pude comprovar que o amor lhe é dado de graça e espôntaniamente sem precisar pedir. Se uma pessoa realmente te ama, você logo percebe pelo apego que tem contigo, e se ao invés de ser amado você só amar não tem geito, todos a sua volta nota a minima paciência e respeito que essa pessoa tem ao seu lado. Nosso casúlo de amor se torna um caixão lacrado que só os que estão fora enxergam o tamanho da besteira que fizemos. Feliz é aquele que idêntifica quando o relacionamento não tem futuro algum, não vou dizer que não dói e muito, é uma dor dilacerante somente no começo, depois  de muito berrarmos e chorarmos tudo vai serenando até se tornar quase um suspiro somente, daquele tempo que julgavamos ser felizes.
Mas me digam que felicidade é essa que aguenta palavrões, irônias, horas ao celular à procura e muitas noites em claro? Imaginando uma forma de tão somente satisfazer o outro. Penso diferente nesse caso, acho até bonito um gesto de amor profundo, só que aprendi que devemos primeiro amar a nòs mesmos e deixar essas tão amadas pessoas em segundo plano. Isso não é ser fria, é ser cautelosa, não se dando tanto perdesse menos e se mantêm o equilibrio necessário para quem sabe achar o amor verdadeiro. Porque acredito que ele exista sim, só que não reconhecemos de imediato.
Quem ama não deixa de tentar...isso sim...

Nenhum comentário:

Lá vem a vida me convidando para sorrir... Desculpe, estou sem vontade. Lá vem a vida me convidando à dançar... Desculpe, não aprendi ...