sábado, 19 de fevereiro de 2011

...a dois passos do Paraíso

Ele se foi, partiu simplismente...
Sem aviso prévio, sem bilhete e nem recado, fiquei ali parada olhando o deserto se abrindo à minha frente.
A dois passos do Oásis, morro de sede... pois me negaste a àgua que eu preciso pra viver.
O sábio Sultão montou em seu cavalo negro, saiu calopando de volta a seus domínios, reinar em paz com sua sultana.
Eu, a Mamba Negra, timída e mortal me transformaria em sua concubina favorita se preciso fosse... fiquei ali paralizada diante da beleza do Sultão. Jamais lhe faria mal algum... Mas ao deparar-se com tão temído animal ele afastou-se e se foi. Não me afugentou e nem me chicoteou, apenas deu as costas e partiu.
Essa é mais uma história para por nos livro Das Mil e Uma Noites. Uma bela história de ser ouvida, não há final feliz, não para a Mamba Negra Mamba-negra 1

Nenhum comentário:

Gabriel Joaquim dos Santos "Arquiteto de Sonhos"

·   Eu tenho um pensamento vivo. ·   Sonho pra fazer e faço. ·   A casa depende do espírito, é uma casa espiritual. ·   Aquelas fl...